Por que alguém como eu

Nunca fui boa em escrever e falar pros outros sobre mim, mas aqui posso ser eu mesma e dizer absolutamente o que se passa no meu coração e minha mente. Obrigada por lerem, gostaria de ver comentários, sejam eles os mas absurdos os, mas legais, os mas ofensivos, enfim, sejam eles como forem. Beijos de Alguém como Eu! Helena (Paolla Oliveira) e Alex (Ricardo Pereira) são um casal que, como todos os outros, vivem diferentes fases em seu relacionamento. Depois de alguns meses de dúvidas sobre o seu namoro, Helena passa a imaginar como seria se Alex fosse uma mulher, mas sua obsessão pelo assunto vai transformar seus devaneios em algo que a atrapalha. Veja como reagir quando alguém te machuca. As pessoas podem ser muito cruéis umas com as outras. E machucar intencionalmente alguém que você ama pode ser prejudicial. Veja como reagir quando alguém te machuca. Todos nós cometemos erros e podemos acidentalmente machucar alguém que amamos sem intenção ou mesmo sem perceber. Pobre Helena...Essa construção confusa é a tônica de Alguém Como Eu, do início ao fim. Ao mesmo tempo que o filme anseia extrair do espectador a identificação por Helena, as frustrações ... 'As pessoas não acham que alguém como eu possa ser inteligente': a vida dos alunos da periferia na USP ... 'E é uma mudança que perdura por gerações, porque gera um ciclo virtuoso de aumento ... Helena (Paolla Oliveira) é uma publicitária que decide trabalhar em Lisboa, onde se apaixona e passa a morar com Alex (Ricardo Pereira). O relacionamento começa a se desgastar e, em um momento de crise, Helena deseja que o marido fique parecido com ela. No dia seguinte, ela começa a enxergá-lo de uma maneira bem diferente.

Setúbal

2013.10.02 18:02 2l84aa Setúbal

[link]


2020.09.22 20:29 miraculoslady Mãe, padrasto e piolho

Bom, eu nem sei por onde começar, eu só quero tirar de mim tanto peso. Eu tenho 18 anos e estou vendo minha mãe da pior maneira que já vi em toda a minha vida. Eu caí na real me abrindo pra alguém que de uma forma que me dói muito, abriu meus olhos. Essa pessoa é a mais importante da minha vida, ela sabe tudo que eu passei e ainda passo na minha casa, mas contando pra ele, eu fui percebendo como as atitudes da minha mãe sempre foram erradas e sem um pingo de amor.
Dos 7 aos 10/12, não lembro bem, sofri abusos do meu padrasto, que até hoje mora com a gente, porquê ele paga as contas. Ela viu ele fazendo coisas comigo quando eu era criança, e não se impôs contra ele, praticamente dava uma conversada e fim. Tenho uma memória muito dolorida, de uma noite em que eu contei a ela que ele vinha na minha cama a noite me oferecer dinheiro pra fazer coisas com ele (eu não aceitava esse dinheiro e nem fazia nada), e ela falou com ele mas ele desmentiu, assim, ficou muito bravo por eu contar pra ela e me puniu, me colocou pra fora do quarto, que na época era o único que tinha televisão, e fechou a cortina, enquanto ele, minha mãe e meu irmão, assistiam televisão e riam. Eu lembro de como não entendia porquê estava sendo castigada, ela não acreditava em mim? Por que ela deixou isso? Lembro de sentir ódio ouvindo ela rir, eu tava pra fora do quarto, a noite, sozinha com medo porquê era criança, essa lembrança tem me machucado muito, eu daria tudo pra voltar e me abraçar, me consolar, dizer que não era culpa minha.
Passou os anos e também tem a lembrança do pior bullying que sofri por causa de piolhos, várias humilhações, porquê ela não fez questão de cuidar, tirava vez ou outra, isso me fez a passar pela situação de tirarem um da minha cabeça na escola e matar na frente de todo mundo, e em 2016 o que me causou sequelas piores e me levou a tentar suicídio, SIM, POR CAUSA DE PIOLHO, mas o bullying era pesado, quase apanhei. Vejo agora como culpa dela, lembrando que quem acabei com meus piolhos em 2017.
Tudo isso até hoje, até eu abrir meus olhos, eram coisas normais, que me causaram sequelas mas eu não via minha mãe da forma ruim que é, ela sempre se diz a melhor, mas nunca se importou comigo como alguém que verdadeiramente ama, eu pedia pra ir ao psicólogo e não adiantava, principalmente nessa fase do bullying. Eu pensava em ser a melhor filha por ela sofrer abuso psicológico pelo meu padrasto, ele é muito ruim.
Mas vejo que ela permitiu isso, não impôs respeito a ela só porquê ele paga as contas e dá dinheiro, e principalmente, não se importou comigo, e em nada que ele fez comigo, até hoje ele é muito chato comigo, não sei se sente ódio pelas coisas que fez comigo no passado, mas parece me odiar muito, e eu tenho que aceitar tudo isso porquê não trabalho ainda mas sobretudo, porquê NUNCA REAGI DE FORMA RUIM, e agora me sinto acordando e tem sido muito difícil, vejo ela e sinto vontade de vomitar, não de nojo, mas de jogar na cara dela como ela foi ruim comigo, como ela é uma péssima mãe.
Tive uma briga com ela agora pouco, a menos de uma hora porquê minha irmã, que é a única pessoa que se importa comigo aqui dentro, xingou ela, e ela veio se entender comigo, eu não ouvi uma desculpa, um perdão, ou vi arrependimento. Ela só disse "o que eu posso fazer agora?" e logo depois estava feliz pensando em comemorar o aniversário do meu irmão. Eu me sinto mal por fazer isso, mas ela nunca se importou se o abuso me causou algo mental, o bullying que me fazia chegar em casa chorando, ela nunca olhou pra mim, acho que eu fazer o mesmo, não é tão ruim assim afinal.
Sinto dó de mim porquê agora mais do nunca, vejo como sofri sem entender o porquê, as noites que dormi com medo do meu padrasto vir, as culpas que carrego por ter permitido ele fazer certas coisas comigo, tudo isso era como se estivesse enterrado até agora, mas veio á tona, a pessoa pra quem contei tem me ajudado muito, aliás, é meu namorado, que pretendo logo me casar e sair dessa casa.
Eu ainda tinha tanto pra contar, tanto que aconteceu, como fui trouxa em fazer tantas vezes o bem pra ela por achar ela guerreira ou algo assim, era ilusão minha, eu não vou tratar ela mal, gritar ou brigar, só me afastar aos poucos, porquê não a vejo da mesma forma.
submitted by miraculoslady to desabafos [link] [comments]


2020.09.22 20:17 Say_mary Um longo desabafo ( leia se tiver paciência)

Eu n tenho nmg pra conversar, alguém pra por pra fora então to aqui, n vou ser hipócrita e dizer q to aqui só pra por pra fora, eu quero achar um comentário que ....
Enfim, eu tive uma infância muito traumatizante graças aos meus pais q eram usuários de drogas, isso era algo tão, tão ruim vey. quem vem duas pessoas usando uma pedra de crack no meio da rua pensa que é só aquilo mas é como viver o interno na terra, tudo que acontece pra chegar ate aquele momento, oq acontece dps... Por causa disso eu cresci meio atoa na rua, tinha dias que eu n comia, que eu dormia no relento, que brigava com estranho, que via um estranho por uma arma na cabeça da minha mae, ver ela fazer coisas nojentas, cuspindo a casa, em pânico, bagunçado. Era assim todo santo dia, tinha tanta gente que tirava aproveito deles, e minha avo tentava ajudar ela de todas as formas q ela podia mas ela n queria ser ajudada, ela simplesmente tacou o fodasy pra minha avo e seguiu a vida fazendo essas coisas erradas. Por um tempo ela viveu numa pensão com a amiga dela bate que tbm vendia drogas, essa bete pegou uma sacola de drogas de um traficante achando que ia ficar tudo de boa ate que estávamos no banco e um cara entrou e bateu a mão com tanta força na vagina dela, ele arrancou algo ali que n sei dizer oq era, só sei que foi algo horrível de se ve. Ela morreu. DPS disso ela voltou a morar com meu pai no bairro dele ele era muito cruel, tratava ela que nem lixo, batia muito, muito nela e maltratava dms. ate qe ela começou a se tornar uma usuária mais centrada, ela alugou uma boa casa, me colocou dentro, Mobilio toda com dinheiro de roubo ela ia na rua com meu pai o mesmo segurava a sacola e ela ia nos super mercados comprar fraldas descartáveis, em media ela saia com quatro, cinco pacotes que ela vendia facilmente aos clientes dela por 30 reais, tbm havia o leite ninho de 15 reais, desodorante, essas coisas, era realmente bastante dinheiro. Ela chegava a movimentar uns 4mil por mês se n gastasse em bebidas, comida, e mantas se o vício dela, desde pequena eu sempre tive coisas boas, pq ela pegava para mim, por isso tinha tanta ctz que iria pra Coréia, que iria realizar todos os meus sonhos pq o dinheiro era fácil, eu vestia roupas de 300 reais, sapato caros dinheiro no bolso e tudo q eu quisesse poderia demorar mas se tivesse na medida iria chegar.. Era uma coisa louca, um entra e sai da porra dentro de casa. Graças a isso eu n sei bem mas afetou minha habilidade de me comunicar, eu entrei pra escola tarde e eu era uma pré adolescente meio esnobe, n falava com nmg e só andava pelos cantos, as pessoa achavam que eu tinha problemas mentais, eu n tinha amigos na escola, n tinha amigos perto de casa, n cvs com meus pais só ficava no quarto, isso me deixava triste dms, é muito ruim n ter nmg, n poder sair nem nada do tipo. Eu só queria um amigo, n importava como era, acho que ate hj n realizei isso de ter um amigo de verdade. Quando descobrir minha sexualidade se tornou pior ainda, eu percebi que gostava de meninos e com isso veio o Bullying eu sofri muito por conta disso, além de ter a miséria rolando em casa havia na escola tbm e tudo isso serviu pra me isolar ainda mais eu fiquei depressiva e comecei a fazer uso de remédios para isquizofrenia para tentar me fazer melhor ate qe percebi que n era gay, na verdade eu nunca me senti gay, eu me descobrir trans e isso me fez sair pra rua, eu sai completamente da minha zona de conforto e me obriguei a amigar com pessoas normies, adolescente que só falam de pegação, de bebidas e festas, isso é tão chato pra mim, que curto anime, shipost e coisas mais cut. Nmg me entendia eu tava lá so por estar, pq eu n queria estar sozinha. Eu comecei a fazer uso de hormônios de uma forma desregulada mas parei. Nisso as coisas em casa tava ficando melhor... Minha mãe tava combatendo o vício aos poucos ate que ela ficou gravida pela 4 vez, dessa vez eu nem tava esperançosa já que ela sempre perdia, mas dessa vez ela foi, e esse bebê fez ela parar por completo quando ela nasceu Andrea resolveu n ir mais roubar eu tava tao felix que Isso iria mudar. Ai eu comecei a tentar me comunicar mais, eu fiz alguns amigos legais, (mais amigos homens) e fui fiquei legalzinha por um tempo mas o vazio imenso persistia dms, fiz terapia, conheci pessoas, namorei, namorei bastante mas nada preenchia isso. Nisso eu já tava transcionando certinho fiz uns amigos classe media mas dps larguei todos eles e minha depressão voltou e eu tentei o suicídio pela primeira vez, peguei uma a Gillete e cortei meus pulsos e sangrei e fui levada por médicos, dps disso fiz uma amiga nova e fiquei apegada com ela, ela n era especial nem nada do tipo. Ai acabamos a amizade e tudo continou na mesma minha mae cuidando do bebê e meu pai caindo e voltando no vício, sem ela ir pra rua eu perdi as coisas boas, a "vida boa", passei a viver como uma pessoa que tem dificuldades, as vezez nem tinha oq comer aqui, meu pai constantemente sumia mesmo estando trabalhando e fazia da deles. Até que eu entrei na depre profunda e tentei a segunda vez tomando remédio de barata, dps disso decidi q n ia tentar mais tirar a minha vida. E apenas coloquei na cabeça q eu ia trabalhar pra ajudar eles,só qe eu n CSG nada! Isso faz minha mãe ( nem chamo de mãe ) esfregar muita coisa na minha cara, isso acaba cmg. Ela fla: ah vc se tornou uma pessoa fria q trata os pais e todo mundo mal, vx teve tudo". Ela n percebe o quanto fudeu minha vida, ela acha que os bens matérias era oq eu queria, vadia estupida. Eu conheci um menino na internet no reddit, ele a gente começou a namorar pela a internet, e em pouco tempo eu comecei a gostar dele, ele era legal, interessante e parecia n se importa se eu era trans, eu me abria com ele e ele comigo, era bom DMS, pela primeira vez em toda minha vida eu sentir, eu amei uma pessoa, amei tao intensamente, sabe aquele tipo de amor qe parece série de TV? Um romance escrito de livro. Ele me falava coisas bnts e me tbm, eu acreditava nisso, eu sentia isso, mesmo de longe ele foi o único q deu sentido a minha vida, n diga "ah, vx precisa ter amor próprio, n precisava viver pensando em alguém, pense em vx". Mas eu queria viver pra ele pq ele dava sentido a isso. Eu ia me encontrar com ele, se desse certo ia me encontrar com mais frequência, n ia ter a dificuldade igual a primeira vez. A vontade de ver esse garoto me fez querer uma pessoa melhor, me fez muito correr atrás de um trabalho, eu queria me estabilizar aqui, e poder ver ele sem ter problemas, a pagar meu passado e tudo. Era minha chance de felicidade até que ele pos um ponto nisso, e eu perdi totalmente o foco de vida. Ia demorar mas eu já imaginava uma vida junto a ele. E com toda certeza absoluta eu nunca mais vou me apaixonar, como posso acreditar quando alguém flar que me ama, quando flar q quer estar comigo sempre, que vai ser eterno. N csg Passar por tudo isso dnv, era foi meu único amor, eu sei disso eu o amava muito, eu n tinha limites para isso.
Agr voltei a estaca zero, vivendo apenas por viver sentindo uma uma imensa dor e vazio. Se eu morrer vai ser melhor assim, tipo pq eu tenho q viver? N tem uma regra fld q isso é o certo, se eu morrer talvez eu alcance a paz. Tem gente que só nasceu pra isso mesmo
submitted by Say_mary to desabafos [link] [comments]


2020.09.22 19:39 zerasoviet Como se preparar para uma conversa que vai pôr fim a um relacionamento que você quer manter?

Ontem eu havia feito um relato aqui sobre um relacionamento que eu tô tendo com uma menina que, apesar de dizer que me ama e ter dito que me quer por perto, acha que só gosta de meninas (pra deixar claro, eu sou um cara). O fato é que eu amo muito ela, como nunca havia amado alguém antes; uma das pessoas mais incríveis que já conheci. Ela tá passando por um processo de confusão e crise por ter que repensar sua sexualidade, mas percebo que as coisas tão se encaminhando para ela compreender que é lésbica e não bi (Ou temporariamente lésbica, explico mais pra frente). O que acontece é que hoje ela disse que a gente precisa conversar, e eu tenho certeza que é pra gente terminar.
Cara, eu imagino como deve ser fudido perceber que sua sexualidade não tá resolvida. Na verdade, nunca tá, né? A gente pode sempre se surpreender. Mas enfim, esses momentos de crise são fodas, e consigo ver que não tá sendo fácil pra ela. Mas algumas coisas me deixam encabulado, talvez pelo fato da gente aprender a conceber as relações pelo filtro do machismo e, consequentemente, não saber lidar direito com a rejeição. Vamos ao ponto, na primeira vez que ela disse que talvez só goste de meninas - que, por sinal, foi há dois dias - ela também me disse que eu não sou o primeiro cara com quem ela passou por isso, e que quando tá com meninos sente falta de meninas e vice-versa. Mas o que fode minha cabeça nisso tudo é que ela já namorou por muito tempo, mais de um ano, com homens, e pelo que sei não teve nesses relacionamentos duradouros a crise da sexualidade. O que me faz pensar: será que ela realmente gosta de mim? Tipo, se fosse um amor de verdade, a sexualidade não seria um coisa tão grande assim, mas posso estar totalmente enganado. Aí surgem aquelas inseguranças de que eu não sou bom o suficiente, de que se eu tivesse feito algo diferente (não sei o quê) não estaríamos nessa situação; como se a cada passo que eu dou perco ela mais e mais, a gente começa a rever e a duvidar de tudo em nós e na nossa capacidade de amar e se fazer amado.
Enfim, ela vem em casa hoje ou amanhã para a gente conversar. E enquanto aguardo minha ansiedade parece que vai me matar. Eu tô fazendo o exercício de me preparar para o pior e entender que esse é o fim de um ciclo na minha vida, mas lá no fundo tem aquela parte da gente que acredita ilusoriamente que tudo vai dar certo, eu queria poder matar essa parte. É triste, a sensação de incapacidade e o vazio que eu tô sentindo é muito grande, tô perdendo a pessoa que mais amei na vida e não posso fazer nada, só sei chorar. Muita confusão e ideia errada na minha cabeça, por mais que eu pense racionalmente que essas coisas tão fora do nosso controle, não consigo entender certas coisas. Até então nosso relacionamento tava ótimo em todos os sentidos (ele só durou 6 meses), e há dois dias ela me fala isso, sem ter dado nenhuma pista antes. Eu sei que essas coisas não vêm do nada na gente, mas ela fez parecer pra mim que sim, como se tivesse tentado manter isso escondido nela. O que me deixa mais frustado e triste ainda, porque ela escondeu de mim que não tava sendo feliz e me fez acreditar que sim.
Dado tudo o que falei acho que não tem uma resposta pra essa pergunta do título, só me resta aguardar. Mas colocar esses pensamentos pra fora já ajuda a gente e muito. Quero aproveitar pra dizer que vocês dessa comunidade São incríveis, uma rede de pessoas se ajudando de uma forma muito linda. É isso, perdão se o desabafo foi prolixo e insosso. Mas lembremos a importância de passar pelo luto e que na vida nada é pra sempre, que as coisas sempre passa e recomeçar é nossa forma de estar no mundo.
Beijos e abraços!
submitted by zerasoviet to desabafos [link] [comments]


2020.09.22 17:08 westryn Me sentindo estranho por ser virgem e bv

Tenho 23 anos e ainda sou virgem e bv. Nunca flertei e nunca flertaram comigo. Acho que isso se deve muito por eu ser uma pessoa muito fechada e de não interagir com ninguém. Nunca fui uma pessoa com desejos sexuais fortes. A principal razão também se deve ao fato de eu ser trans e ainda não ter iniciado minha transição. Sinto nojo ao pensar em beijar alguém no corpo em que estou. Mas quando paro para pensar, acho que mesmo depois da minha transição, ainda não vai ser fácil mudar minha situação.
Vejo muita gente bem mais jovem que eu falando sobre relacionamentos, beijos, etc...e meio que me sinto de fora. Como se estivesse perdendo algo. É difícil explicar. Nas raras vezes em que assumi que nunca fiz essas coisas, quem ouviu ficou surpreso. Com se fosse algo fora do normal. Às vezes tenho medo de envelhecemorrer sozinho. É um tanto assustador. Sinto como se tivesse algo essencialmente errado em mim.
submitted by westryn to desabafos [link] [comments]


2020.09.22 16:00 Triiggerr Tente não ser social awkward

Antes de mais nada desculpa pelo termo em inglês. Eu não sei se existe um nome pra isso em português.
Minha história começa ha 3 anos. No final de 2017 meu cachorro morreu e eu era muito apegado a ele e eu fiquei sem rumo e sem motivo pra continuar vivo. Eu só continuei indo pela minha mãe e pelo meu pai senão eu tinha me matado.
Alguns meses desse estado mental de desistência eu já tinha perdido basicamente toda minha habilidade de socializar e interagia basicamente com 3 amigas na minha sala e não conseguia ter um diálogo com mais ninguém direito.
Até que em abril de 2018 eu conheci uma menina e eu conseguia conversar com ela de verdade e eu me apaixonei por ela e a gente começou a namorar. Eu fiz tudo que eu podia e tudo que eu não podia por ela. Gastei Todo o dinheiro que eu tinha, peguei dinheiro emprestado, paguei no crédito sem saber como q eu ia arrumar dinheiro pra pagar o boleto no final do mês, Briguei com meus pais, parei de conversar com uma menina q ela não gostava, fiz coisas que eu não gostava/não queria. Isso tudo ao longo de 2 anos e meio de relacionamento.
Por mim tava tranquilo por que eu amava ela e as outras coisas não eram tão importantes mesmo. Porém além disso tudo eu também parei de interagir muito com meus amigos quando eu não estava na escola por que eu ficava sempre com ela fazia tudo com ela e etc.
A consequência disso foi que atualmente, depois de formado no ensino médio, eu interagia basicamente só com a minha namorada, conversando muito raramente com meus amigos que são um total de 4 pessoas sendo que a pessoa que converso mais fequente eu falo tipo uma vez a cada 15 dias ou algo assim.
Pulando pra sábado passado minha namorada falou comigo que ela me amava apenas em X circunstâncias, que ela não me apoiaria a fazer tudo que eu achasse correto e que eu só era a prioridade dela a não ser que ... (qualquer coisa que ela decidir). Ela já tinha apresentado esse comportamento antes de priorizar outras pessoas e outras coisa a cima de mim mas eu não ligava por que eu amava ela. Isso que ela falou já me fudeu com todas as forças mas eu não fiz nada só fiquei triste e com raiva.
No domingo ela terminou comigo. Falou que não tava dando certo pra ela a um tempo ja e que achava que era a melhor coisa a se fazer.
Agora vem a explicação do titulo. Tente não ser social awkward. Como eu só conversava com ela e não interagia com mais ninguém direito eu estou completamente desorientado. Meus pais e minha irmã tão me dando uma força daora e eu consegui conversar a respeito com uma amiga minha mas eu simplesmente tô abandonado sozinho no mundo. Por que eu vejo as coisas penso as coisas e quero contar pra alguém mas não tem ninguém pra contar por que eu só conseguia conversar mesmo com ela. Ontem eu tive uma crise de ansiedade que durou tipo a tarde inteira por que eu tava completamente perdido no mundo e na minha vida.
Além disso tudo eu não posso fazer nada que eu gosto o que piora tudo infinitamente. Eu sou músico violonista e pianista e sou programador. Porém no último mês eu tenho tido um problema na mão que acredito ser tendinite que toda vez que eu vou tocar ou mexer no computador minha mão começa com uma dor insuportável (Mas já marquei um fisioterapeuta e vou consultar essa semana ainda). Então nesse momento eu tô sem ninguém pra interagir direito e sem poder tocar ou mexer no computador o que piorou tudo.
O que ta me "segurando no lugar" são meus pais, minha irmã, meu cachorro(que veio pra minha casa ano passado) e a amiga que eu consegui conversar. Mesmo assim eu tô tendo crise de ansiedade e começando a chorar do nada e ficando olhando pra parede pensando que que aconteceu e pensando como que o universo gosta de me fuder por que no último ano tudo deu errado pra mim menos o meu namoro e agora o namoro deu errado também.
A moral da história é não pare de interagir com seus amigos em nenhuma situação. Não baseie toda sua sanidade e paz de espírito em uma pessoa por que a gente nunca sabe o que vai acontecer. Eu queria e acreditei que eu ia casar com ela e a gente ia ter filhos e uma família e ficar juntos pra sempre mas o universo tinha outros planos pra gente.
Tente ao máximo não ser social awkward por que isso doi muito e eu espero que mais ninguém tenha que passar pelo que eu passei ontem.
Desculpa pelo texto gigante eu não consegui falar sobre isso com mais ninguém direito e aqui me pareceu um lugar apropriado.
submitted by Triiggerr to desabafos [link] [comments]


2020.09.22 15:45 murisaca Me tornei um viciado de propósito.

Vamos lá kkkk eu queria dividir isso aqui porquê é um assunto que eu não consigo tocar em uma conversa normal com as pessoas, eu fiquei viciado em pornografia de propósito para diminuir o meu interesse por mulheres. É estranho eu sei, mas eu estava cansado de ficar o tempo todo caçando alguma mina que gostasse de mim, e isso me impedia de ter mulheres próximas a mim, qualquer mina que me tratava minimamente bem eu já ficava interessado, e isso muitas vezes me gerava dor de cabeça, porquê em 99% dos casos a mina estava só sendo educada. Eu não conseguia ter amizade com mulheres e nem manter conversas com elas por muito tempo, pois sempre acabava deixando claras as minha intenções e isso acabava afastando pessoas legais.
Hoje eu to completamente viciado em pornografia e até adquiri o hobby de estudar a indústria pornografica a nível global (vou fazer um outro texto falando apenas do tema). O ponto é apesar dos problemas gerados pelo vício como a falta de foco e a ansiedade infinita, não fico mais tanto tempo “caçando mulheres” comecei a achar um rolê muito grande me envolver com alguém e consegui construir amizade com algumas 4 ou 5 e isso é realmente muito legal, a maioria dos caras não tem 1 amiga mulher ou se tem provavelmente tem um interesse secreto por ela, só que normalmente as minas não se tocam e ficam tratando o cara como o “confidente”. A questão de ter amigas mulheres é que você pode falar de assuntos que normalmente seus amigos homens iriam falar “vai começar com a viadagem” e você acaba conseguindo entender como é o “outro lado” diversas coisas que eu não conseguia entender quando estava tentando “comer alguém” agora fazem sentido e eu consegui tirar um proveito bom de algo que hoje está sendo tão criticado.
Enfim eu sei que este vício não me faz bem, mas eu realmente sinto que a minha visão de relações entre homens e mulheres mudou e isso transformou a minha vida, consegui focar em outras coisas e focar mais em mim mesmo, atualmente fui efetivado em uma multinacional e estou ganhando um salário razoável mas que é o dobro do meus pais me sustentaram a vida toda, to concluindo minha faculdade e pela primeira vez em toda a minha vida estou ansioso pelo meu futuro, e não apenas vivendo mais um dia.
submitted by murisaca to desabafos [link] [comments]


2020.09.22 15:36 allthegrapes Girias

Sou estado-unidense eu moro no Brasil, gostaria de criar um feed pra trocar gírias! pode ser gíria portuguesa, brasileira, de outros lugares que falam português! para começar vou compartilhar umas gírias brasileiras que conheço e o significado que eu entendo de cada. sinta-se livre à me corrigir! kkk
"Cu na mão" ; estar com muito medo de algo acontecer por exemplo : "Gente ontém eu fiz um teste de gravidez e eu tava com cu na mão esperando!"
"Pisar na bola" ; cometer um erro de decepcionar alguém/algumas pessoas por exemplo : "O Francisco não apareceu na festa e nem avisou, pisou na bola mano."
"Pegar fogo" ; essa também é uma expressão verdadeira mas como giria quer dizer que algo se tornou uma locoura (ou bom, ou ruim) por exemplo : "A festa foi daora daí o cara surtou e a coisa pegou fogo. Saí correndo."
"Daora" ; essa é uma que só ouvi falar no interior de São Paulo que quer dizer muito legal, incrível por exemplo : "Mano, você chegou à assistir essa serie? É daora."
Compartilhe suas gírias preferidas aqui !!
submitted by allthegrapes to Portuguese [link] [comments]


2020.09.22 15:18 abobrita o silêncio das pessoas me mata

inicialmente, vale mencionar que isso não é culpa das pessoas e sim totalmente minha.
sempre preciso de uma constante afirmação que está tudo bem entre mim e a pessoa, caso contrário eu fico pensando que aleatoriamente por um motivo do além aquela pessoa passou a me não gostar mais de mim.
sempre acabo "empurrando" a responsabilidade de chamar e manter contato para a pessoa, porque se eu assumo essa responsabilidade costumo achar que estou incomodando e que "se a pessoa quisesse falar comigo ela me chamaria"
e caso a relação seja amorosa sempre acabo desenvolvendo ansiedade me perguntando se eu me tornei enjoavel para a pessoa, isso tudo é muito HORRÍVEL, viver nessa constante ansiedade e incerteza me faz me isolar das pessoas e evitar constantemente possíveis relações
sei que sou boba por pensar assim, sempre tento melhorar em relação a essas coisas e até que melhoro mas sempre acabo sentindo uma certa angústia, é horrível, queria poder lidar com tudo isso como alguém normal
submitted by abobrita to desabafos [link] [comments]


2020.09.22 13:58 ygormagalhaes Monogâmico por opção ou imposição cultural?

Esse post é parte desabafo, parte questionamento.
Vocês são monogâmicos por opção, tendo pensado a respeito de forma crítica e analítica ou são (ou fingem que são) somente por imposição do que foi culturalmente construído no decorrer de suas vidas e dos seus antepassados?
Eu não entendo como alguém pode ter sua vida controlada por algo que dizem ser o mais certo para VOCÊ.
Já perdi amizades porque percebi que os namorados dessas amizades não achavam correto manter contato comigo. Não sei o que acho pior, essa construção escrota de achar que um contato deve ou não acontecer ou se submeter ao controle alheio.
Sei que não é algo tão falado, muito menos incentivado. Mas até quando a maior parte das pessoas vai viver numa mentira? 99% das pessoas que conheço e estão num relacionamento falam no mínimo sobre vontade de ter relações extra conjugais (e desses 99%, provavelmente 50% já experimentaram essas relações fora de seus namoros, casamentos, seja lá o que for).
Por que perpetuar um estilo de vida que já não é mais compatível com nossa sociedade? Vivemos em um mundo fragmentado, temos informações suficientes para deixar de viver de forma passiva sem questionar o status quo de cada uma dessas coisas que nós sabemos (e não queremos admitir) que nos incomoda.
Acabei de ver que fui bloqueado por uma amiga porque não deveria ter mandado mensagem na hora X e o namorado viu. Quanta babaquice.
E sim, eu namoro e vivo num relacionamento de verdades e diálogos. Não digo isso sendo um hipócrita sem conhecimento de causa.
Abraços. Um ótimo dia para todos vocês.
submitted by ygormagalhaes to desabafos [link] [comments]


2020.09.22 10:39 The_Portuguese_ZA Portugueses que ainda jogam Destiny 2?

Oi, isto é a primeira vez que estou a publicar algo no Reddit. Não sei se estou no sítio certo ou não, se não estiver peço desculpa.
Mas se estiver num sítio correto, gostava de saber se ainda há pessoas que jogam Destiny 2. Se sim, alguém estaria interessado em fazer umas raids? Eu sei como fazer algumas. Tenho mais 3 Portugueses que as querem fazer, só preciso de mais 2 pessoas. Se tiver muita gente a responder até podemos criar um clã ou algo do género. Se estiverem interessados em se juntar, podem-me adicionar na Steam ThePortugueseZA, com a imagem de um pato.
Eu moro na África do Sul, então encontrar Portugueses que ainda jogam este jogo, não é a coisa mais fácil do mundo. Ficarei à espera de repostas e obrigado por lerem!
submitted by The_Portuguese_ZA to portugal [link] [comments]


2020.09.22 09:11 novcam Dias tempestuosos..

Hoje é terça, está chovendo.. A dias que a vida parece ser tão cruel.. me faz pensar e sentir-me tão incapaz, impotente, fraca(o).. são tantas turbulências que não consigo resolver, por não estar nas minhas condições ou não dependerem só de mim, as pessoas não tomam atitudes consideradas por qualquer um como o mínimo..e que me impactam ..eu me sinto um lixo. Essa madrugada eu quase fiz algo, algo muito ruim, comigo mesma, eu não tive forças, era algo tão simples, porém que pra mim teria um impacto tão profundo, ainda estou sedenta em fazer, sinto que a qualquer momento posso perder o controle, não estou mais a frente dos meus atos em alguns momentos.. As pessoas fazem coisas ruins comigo, eu não acho que mereça, não fiz nada. Me sinto impotente por não conseguir retribuir, ou retrucar..mesmo coisas bestas como mensagem, ao menos para mostrar que me devem respeito..talvez, meu inconsciente ainda seja parte de mim que se mantenha realmente consciente nesses momentos e não me deixa por achar que não valha a pena, que só devo deixar quieto, e deixar toda essa tempestade para o ontem e viver o dia de sol que talvez sairá hoje, não sei.. Minhas palavras podem parecer aqui bem embaralhadas e confusas, mas o fato é que, eu só queria escrever, não precisa entender e só queria que alguém lesse.. Eu me sinto muito mal, sou bem fechada quando sofro, além dos aspectos superficiais, não conto as pessoas o que sinto e as coisas que acontecem, aliás até conto, mas a quem eu conto, sinto que não se importa tanto, ou não dá tanta atenção, me responde por vezes com desdenha, como se fosse frescura.. e é a mesma pessoa que geralmente me faz sentir-se assim, ao invés de oferecer ajuda, se abstém e vida que segue, em alguns momentos parece fazer pouco dos meus sentimentos, não me escuta, não me entende e não tem paciência para entender, vai embora e acha que devo esquecer e não fazer nada, como se eu não fosse nada.. Tô me sentindo muito só, a coisas que familiares não entenderiam para opinar.. a última vez que desabafei com uma amiga, ela me chamou de idiota e burra, não no mal sentido eu entendo até, mas me fez me sentir pior,estou desenvolvendo coisas ruins que estão vindo de impacto direto com o exterior, minha vida, meu cotidiano, a uns dias atrás acabei desabafando com uma psicóloga, conversamos algumas vezes, não disse tudo, ela me indicou um tratamento mais prolongado, disse que preciso sim mas não disse o que era, acabei descobrindo depois que ela colocou quadro característico a distimia no meu prontuário, (particularmente não gostei por ser no trabalho principalmente, então parei educadamente de falar com ela, quando me ofereceu ajuda) acho que só piorou eu saber disso.. a duas noites não durmo direito..estou muito ansiosa e durante o dia me pego chorando, a tempos que estou bem, mas a qualquer lembrança ou as vezes nada, meu corpo começa a doer, eu começo a tremer, chorar, meu peito dói como se fosse a dor de alguém próximo que tenha falecido, fico dias em estado de sofrimento e já não estou mais conseguindo esconder das pessoas.. Sinto que devo tomar alguma atitude, necessito para colocar um ponto final de vez nisso, soluções de diálogo para mim sempre foram a melhor opção, mas de tanto tentar, não acho que seja hoje só isso suficiente.. Eu sei que preciso de ajuda e estou procurando, mas agora estou com receio e as vezes, sem ânimo para procurar.. enquanto responsável pela decoração do trabalho para o Setembro Amarelo conheci o CVV e escrever aqui hoje já foi a mim de grande ajuda!.. Enfim, a todos uma boa manhã e dia!
submitted by novcam to desabafos [link] [comments]


2020.09.22 08:54 humanaaaa Não sou hétero

Bom, eu sou uma menina de 16 anos que precisa desabafar, apenas. Não sei com que propósito, mas contarei aqui a minha "vida amorosa", se é assim pode ser chamada.
Eu me apaixonei sério pela primeira vez quando tinha uns 10 anos, mas eu já tinha gostado de alguns meninos antes. Eu gostava muito de conversar e brincar com ele. Como eu nunca fui uma pessoa muito bonita, ele não gostava de mim e não deu em nada, de boa. Mas um fato que eu acho interessante é que todos falavam que ele era "bichinha" -odeio esses termos-, porque ele era mais afeminado e tal (essa informação será importante mais à frente). Depois de 13 anos gostando apenas de meninos (ou pelos menos achando isso) eu me vi completamente obcecada por uma menina pela primeira vez. Eu fazia de tudo para estar perto dela, para falar com ela, meu coração quase saia pela boca quando eu a via. Eu nunca tinha sentido algo tão intenso por alguém, foi mais forte do que com qualquer menino. Eu já a conhecia desde a infância, mas nunca tive um contato direto. Eu me aproximei muito rápido, sem saber o porquê, e nos tornamos muito amigas. Eu dava sinais de que gostava dela, as vezes até muito escancarados, mas ela sempre respondia bem, retribuia. Lembro que até enviei "i wanna be your girlfriend - girl in red" pra ela, só na """zoeira""" (naquele tempo não era conhecido como hoje). Eu me arrependo de ter feito isso, porque sei que uma hora ou outra essas coisas que fiz e disse servirão para me "desmascarar" e me arrancar do armário, coisa que eu não queria que acontecesse, pois quero me assumir no meu tempo. Mas enfim, acho que ela também gostava de meninas, usava até um icon que tinha a bandeira lgbtq+ em algumas redes sociais, no anonimato. Icon pra quem quiser ver: [icon](https://pin.it/3septKR) Eu não sabia lidar com tudo aquilo e comecei a sentir culpa, então decidi esquecer e agir como se nada tivesse acontecido, me afastei bruscamente. Eu me senti péssima, pois ela enfrentava um quadro bem sério de depressão na época e o que fiz com certeza piorou as coisas. Eu não sabia lidar com os meus sentimentos e nem ela com os meus. Eu fiquei muito mal mesmo, passei a não ter a mínima vontade de ir à escola, não comia, nem banho tomava, cheguei até mesmo a me automutilar. Queria literalmente sumir, não suportava o peso de estar fazendo mal a uma pessoa depressiva e de distoar do que pra mim era o normal (hétero). Mas aí ela mudou de escola, nunca mais nos falamos e tudo jóia, na medida do possível. Até hoje isso não sai da minha cabeça, foi muito mal resolvido. O tempo passou, feridas foram semicuradas e eu comecei a gostar de um menino ano passado. Novamente era afeminado, assim como os outros que eu gostei. Na quarentena isso me faz pensar que, de certa forma, eu penda mais pro lado homo, já que atê os homens que gosto se "assemelham" com pessoas do meu sexo. Não fui correspondida, mas isso é o de menos, porque agora eu vejo que não gostava tanto dele quanto eu tinha gostado da menina. Mas chegamos até o início do ano, quando eu me sentia em paz por estar amando do "jeito certo". Do nada, do n a d a, tenho um crush pesado na minha professora de história kkkk. Foi aí que pensei: "passou de uma, eu realmente não sou hétero". Pelo menos eu não tenho que lidar com vê-la na escola, por causa da pandemia; é mais fácil de superar. Detalhe: pela professora eu senti o frio na barriga que eu não senti pelo menino do ano passado. Vale ressaltar que nesse tempo todo nunca tive experiências práticas com nenhum dos sexos (sou bv e virgem). Sempre que aparece a mínima possibilidade de ficar com alguém (quando tentam me arranjar) eu me esquivo, não tô preparada. 
O meu medo com tudo isso é que ao me assumir bi/lésbica eu fique só. Eu já tenho certeza que a minha família não vai aceitar de primeira. E como só tenho amigas mulheres, receio que parem de andar comigo, ou me de chamar pras coisas. Espero que elas compreendam, sem o apoio dos parentes elas são meu porto seguro.
Este texto não tem nenhum intúito específico, só precisava pôr meu relato em algum lugar, já que nunca contei pra ngm o q eu disse aqui. 
submitted by humanaaaa to arco_iris [link] [comments]


2020.09.22 08:26 humanaaaa Eu não sou hétero (gatilho)

Bom, eu sou uma menina de 16 anos que precisa desabafar, apenas. Não sei com que propósito, mas contarei aqui a minha "vida amorosa", se é assim pode ser chamada. Eu me apaixonei sério pela primeira vez quando tinha uns 10 anos, mas eu já tinha gostado de alguns meninos antes. Eu gostava muito de conversar e brincar com ele. Como eu nunca fui uma pessoa muito bonita, ele não gostava de mim e não deu em nada. Mas um fato que eu acho interessante é que todos falavam que ele era "bichinha" -odeio esses termos-, porque ele era mais afeminado e tal (essa informação será importante mais à frente). Depois de 13 anos gostando apenas de meninos (ou pelos menos achando isso) eu me vi completamente obcecada por uma menina pela primeira vez. Eu fazia de tudo para estar perto dela, para falar com ela, meu coração quase saia pela boca quando eu a via. Eu nunca tinha sentido algo tão intenso por alguém, foi mais forte do que com qualquer menino. Eu já a conhecia desde a infância, mas nunca tive um contato direto. Eu me aproximei muito rápido, sem saber o porquê, e nos tornamos muito amigas. Eu dava sinais de que gostava dela, as vezes até muito escancarados, mas ela sempre respondia bem, retribuia. Lembro que até enviei "i wanna be your girlfriend - girl in red" pra ela, só na """zoeira""" (naquele tempo não era conhecido como hoje). Eu me arrependo de ter feito isso, porque sei que uma hora ou outra essas coisas que fiz e disse servirão para me "desmascarar" e me arrancar do armário, coisa que eu não queria que acontecesse, pois quero me assumir no meu tempo. Mas enfim, acho que ela também gostava de meninas, usava até um icon que tinha a bandeira lgbtq+ em algumas redes sociais, no anonimato. Icon pra quem quiser ver: [icon](https://pin.it/3septKR) Eu não sabia lidar com tudo aquilo e comecei a sentir culpa, então decidi esquecer e agir como se nada tivesse acontecido, me afastei bruscamente. Eu me senti péssima, pois ela enfrentava um quadro bem sério de depressão na época e o que fiz com certeza piorou as coisas. Eu não sabia lidar com os meus sentimentos e nem ela com os meus. Eu fiquei muito mal mesmo, passei a não ter a mínima vontade de ir à escola, não comia, nem banho tomava, cheguei até mesmo a me automutilar. Queria literalmente sumir, não suportava o peso de estar fazendo mal a uma pessoa depressiva e de distoar do que pra mim era o normal (hétero). Mas aí ela mudou de escola, nunca mais nos falamos e tudo jóia, na medida do possível. Até hoje isso não sai da minha cabeça, foi muito mal resolvido. O tempo passou, feridas foram semicuradas e eu comecei a gostar de um menino ano passado. Novamente era afeminado, assim como os outros que eu gostei. Na quarentena isso me faz pensar que, de certa forma, eu penda mais pro lado homo, já que atê os homens que gosto se "assemelham" com pessoas do meu sexo. Não fui correspondida, mas isso é o de menos, porque agora eu vejo que não gostava tanto dele quanto eu tinha gostado da menina. Mas chegamos até o início do ano, quando eu me sentia em paz por estar amando do "jeito certo". Do nada, do n a d a, tenho um crush pesado na minha professora de história kkkk. Foi aí que pensei: "passou de uma, eu realmente não sou hétero". Pelo menos eu não tenho que lidar com vê-la na escola, por causa da pandemia; é mais fácil de superar. Detalhe: pela professora eu senti o frio na barriga que eu não senti pelo menino do ano passado. Vale ressaltar que nesse tempo todo nunca tive experiências práticas com nenhum dos sexos (sou bv e virgem). Sempre que aparece a mínima possibilidade de ficar com alguém (quando tentam me arranjar) eu me esquivo, não tô preparada. 
O meu medo com tudo isso é que ao me assumir bi/lésbica eu fique só. Eu já tenho certeza que a minha família não vai aceitar de primeira. E como só tenho amigas mulheres, receio que parem de andar comigo, ou me de chamar pras coisas. Espero que elas compreendam, sem o apoio dos parentes elas são meu porto seguro.
Este texto não tem nenhum intúito específico, só precisava pôr meu relato em algum lugar, já que nunca contei pra ngm o q eu disse aqui. 
submitted by humanaaaa to desabafos [link] [comments]


2020.09.22 08:14 Helloutrouxas Algo pra alegrar sua madrugada

Só um textinho pra você que tá lendo coisas a tempos sobre depressão ou corrupção, algo pra melhorar o humor.
1 O Brasil é o país que mais se espalhou pelo globo, porque não é possível, qualquer lugar que você gritar no planeta inteiro "Brasil" alguém vai te responder
2 Não tenha certeza que ninguém se importa com você, talvez só faltasse olhar mais para trás e ver alguém preocupado, sem saber o que falar
3 O Brasil é um dos países mais aconchegantes do mundo, é bom ver como nos conhecemos. O ambiente com um brasileiro se torna mais leve e humorado
4 Pergunte a si mesmo, se você não aguenta mais por que exita? Por que ainda tem a dúvida? É porque não você não desistiu ainda. É apenas uma dúvida, uma dúvida que pode te manter conosco
5 Nosso pais inventou diversas coisas que afetam diretamente o planeta. A mais importante delas o brigadeiro
6 Se não tem alguém que possa contar escreva, em um papel ou algo do tipo, diga todas as suas mágoas e libere tudo no papel, quando acabar releia e destrua de algum jeito. Rasgue, queime, molhe; quando acabar você se sentirá mais leve. Como se tudo tivesse ido embora (é realmente bom eu já fiz e Deus como ajuda)
Espero que tenha gostado 🙇
submitted by Helloutrouxas to desabafos [link] [comments]


2020.09.22 06:06 britojp QUANDO EU ACHO QUE ELE VAI PARAR, ELE CONTINUA

É isso, meu pai tá cada vez mais insuportável, ninguém aguenta, chega uma da manhã do bar mandando eu dormir, sendo que dormindo 2 da manhã, eu acordo cedo, e ele ainda acorda falando que eu não faço nada e já mandando eu encher as garrafas d'água, ainda xinga a gente todo dia, dps que eu olhei no app da carteira de trânsito e falei pra minha mãe que tinham duas multas na mesma avenida, ela falou pra ele e ele ficou bravo e falou que é porque ela sai pra bater perna e pra ficar namorando, sendo que é pra usar o banco 24 horas da padaria, e aquela avenida também tem lugar pra comer e outras agências, ela vai lá todo dia, sendo que quem traiu ela com mulher do bar foi ele, Jean, amigo da minha mãe da academia, chamou ela no portão pra eles irem. A noite ele já reclamou, sendo que o coitado é gay e ainda tá na faculdade, minha mãe tem 48 anos. Hoje mesmo, vou falar em frases pra resumir rápido, tava com o telefone da minha mãe e fui olhar a fatura do cartão no celular pq ela pediu, e tava lá a fatura vencida há 10 dias, e como ela não me escutou e investiu de forma errada o dinheiro que ela tinha, pediu dinheiro emprestado pra pagar a fatura amanhã, sendo que era só ele sacar e dar pra ela ou ir fazer uma transferência, SÓ. Aí dps ele começou a gritar feito um animal, empurrou minha mãe, e bateu a porta da marcenaria, o Loro, meu irmão, até voou do ombro da minha mãe (é um papagaio), isso gritando que ia fuder ele, que ia sujar o nome dele, sendo que sacar dinheiro ou transferir não suja nome, qualquer pessoa com senso sabe disso. Dps minha mãe fez eu ir com ele transferir pra conta dela, o banco do posto perto de casa não tá funcionando, o do outro posto tá dando "limite de saque excedido", dps a gente foi no shopping tentar lá, e pouca gente sabe mas a tela dos bancos 24 horas já é protegida contra isso, eu fiquei do lado dele, meio atrás, e a tela tava toda embaçada, e mesmo assim ele: "DÁ LICENÇA", aquela hora me deu vontade de ir no restaurante do shopping, pegar uma faca, e matar ele na frente de todo mundo, e semana passada eu fui com a minha vizinha no banco do posto pra sacar o auxílio dela, e um cara que tava atrás da gente, perguntou se eu ajudava ele a sacar pq ele não sabia, parecia ter menos de 25 anos, e eu ajudei normalmente, ele não ligou de eu estar na frente dele o ajudando, e ainda ele mesmo, me deu a senha pra colocar no caixa, um cara que nunca me viu na vida confiou mais em mim do que o desgraçado que diz ser meu pai, e ele já fez isso no mercado, deu uma olhada pra trás normalmente e minha cabeça voltou, dps no carro indo embora ele falou que eu tava olhando a senha do cartão dele, isso faz 2 anos, eu nem sabia passar cartão, só ajudava minha mãe a entrar no app do banco, nem isso eu sabia fazer direito ainda, e tudo é assim, briga sempre por causa de dinheiro ou quando minha mãe sai. Eles separaram faz de 6 a 8 meses, e aquele corno fala que vai sair de casa e não sai, ninguém mais aguenta ele, não vou mentir não, minha mãe não é 100% perfeita mas eu amo ela.
Se alguém quiser saber (oq eu duvido), eu sou homem, 13, minha mãe tem 48, e meu pai 55 anos. (Escrevi "pau" sem querer e o corretor corrigiu pra "pai", Graças a Deus). E desculpa pela história longa.
submitted by britojp to desabafos [link] [comments]


2020.09.22 05:40 ThatAwkwardLeaf Tudo tá bem merda

Resumindo de uma forma bem básica;
Em algum domingo dessa quarentena eu simplesmente quebrei já que minha mãe tinha visto meu whatsapp (é um choque pra alguém que deixou mais que claro que NÃO QUER que eu tenha amigos), um monte de mensagens e isso incluí uns "desabafos". Ela não faz ideia que eu sou trans (menos disforia ao mesmo tempo que eu tenho mais, que incrível, né? Aliás, os pronomes são ele/dele) e no máximo jura q eu sou no mínimo gay. Quase descobriu que eu... Namoro? Tá complicado, já chego nisso... Enfim, depois disso ela deu de arranjar um psicólogo. Ele simplesmente me deixa ansioso, me dá disforia toda sessão e resumidamente ele é religioso. Sempre acha uma forma de enfiar jesus e a bíblia nas sessões. Vários dias depois, passando por algumas crises de ansiedade ou pânico, incluindo essa que eu simplesmente não soube como lidar, nunca tinha chorado tanto na merda da minha vida, a desgraça do dia inteiro segurando o choro e depois não conseguindo mais parar de chorar. Isso foi no mesmo dia que meu primo numa tentativa de me """AJUDAR""" (Em momento algum eu pedi ajuda com isso) com o problema do meu notebook (não tava carregando com o carregador dele (mas estava com o carregador do notebook da minha mãe, então eu usava quando ela não tava usando) então eu só desatei a esperar minha mãe arranjar vontade de arrumar ele) fudeu o notebook ao ponto de não carregar mais nem se Deus quisesse. E voltei a... Passar os dias me distraindo pra não chorar por sei lá que motivo ou por causa da disforia ou só ansiedade por nada. Chegando a parte "complicada" do negócio do namoro, eu e ele demos um tempo. Ele... Tá passando por muita coisa, eu simplesmente não consigo mais falar tanto com ele, e SEI que eu só estava sendo um fardo pra ele. A gente nem mesmo conseguia fazer as coisas junto mais, era um negócio decadente. Sinceramente lembrar disso me faz querer chorar de novo (mas claro eu já tô numa crise de merda, provavelmente é por isso), mas eu tô... Bem. Eu acho, quanto a esse assunto pelo menos. Sei lá, o que ele quiser... Tá ótimo pra mim. Se ele não quiser voltar, eu aceito a decisão dele, só quero o que é melhor pra ele. Se ele quiser, também aceito a decisão. Eu, quero sim, voltar, provavelmente só ia quebrar caso ele não queira, mas o que eu quero ou deixo de querer não é mais a questão aqui.
Olha, eu tive dias bons e tal, mas eu simplesmente não consigo me lembrar deles. Eu já tô esquecendo o dia bom que eu tive anti ontem e ontem. Não me lembro nada de alguns dias atrás onde eu joguei among us com minha irmã e uns amigos, as várias madrugadas q a gente passou jogando Stardew Valley. Eu não lembro do que tanto aconteceu, eu só sei que... Aconteceu. Em algum tempo atrás, parece muito tempo.
E agora... Eu tô sentindo disforia, ansiedade por nada, já fudi minhas mãos, a minha vontade de morrer só aumentou mais e mais. Eu esqueci de falar dela, né? Eu sempre evito esse tópico.
[Edit: eu esqueci de por isso aq, se não quiser ler nada relacionado a suicídio, por conta de gatilho ou algo do gênero, pode só pular pro último parágrafo (? Na dúvida só pula o texto gigante todo). Desculpa por esquecer desse aviso]
Por um bom tempo nessa quarentena, eu senti essa vontade no fundo da mente. De me cortar e me observar sangrar até morrer, morrer afogado na minha miséria, ou de me enforcar em algum lugar, pular de algum lugar alto, só me matar de fome, ou me deixar desidratar. Toda vez que eu ficava no silêncio, a ideia vinha e aumentava. Batendo, martelando naquele mesmo lugar. Até ficar insuportável, mas eu ainda manti ela lá. Presa. Por uma camada fina de... Esperança? De que vai dar tudo certo? Por um tempo sim, eu já perdi ela toda, se bobear. Sinto tanto que não vale a pena existir, persistir, continuar levantando da cama, desenhar, as vezes até dos meus gatos eu esqueço. Eu não sei por que eu ainda levanto, tomo banho, lavo o cabelo, escovo os dentes, como e bebo água. Não sei mais. A fome nem mesmo vem.
Enfim. Isso deve estar super confuso, e eu me desculpo por isso. Eu estou maravilhado com o fato de, apesar da vontade de chorar, eu não derramei uma única lágrima. Até pra chorar eu não sirvo mais, é incrível.
submitted by ThatAwkwardLeaf to desabafos [link] [comments]


2020.09.22 05:11 Far_Dot6073 NÃO CONSIGO CONVERSAR COM QUEM TENHO INTERESSE

Meu desabafo não é algo grave e nem sei se posso classificar como desabafo, mas acho esse grupo tão acolhedor que resolvi compartilhar aqui. Desde a semana passada voltei a trabalhar diretamente na empresa para orientar uma moça nova, porém comecei a olhar um colega de trabalho com outros olhos. Eu queria muito conversar com ele e comecei a ter interesse depois de ter pego ele olhando pra mim, porém foi uma única vez. O que me incomoda é o fato de que desde que eu comecei a me interessar por ele, simplesmente não consigo me mover ou fazer qualquer coisa que demonstre interesse, além de que minhas inseguranças começam a vir a tona com pensamentos como "Eu não sou tão bonita assim", "Ele não estava olhando para mim, foi apenas impressão", "Ele me acha muito imatura" , entre outras. Vim confessar isso pois minha ansiedade em situações como essa estraga boa parte (senão todas) da minha coragem para conversar com alguém que tenho interesse e não ter medo de ser rejeitada. O pior é que as vezes quando finalmente todo a coragem de falar algo, normalmente soou muito idiota e nervosa, falando coisas completamente desconexas e completamente diferente do que eu realmente sou. Queria poder chegar nesse cara como eu fazia antes de ter interesse nele, mas queria mais ainda ter certeza de que ele está interessado em mim, dessa forma daria mais esperança. Desculpem-me por isso não ser um desabafo grave nem nada, mas de novo sinto que esse grupo é muito acolhedor e gosto bastante dele. Também peço desculpas pelos possíveis erros gramaticais: revisei apenas uma vez por conta do horário e do meu sono
submitted by Far_Dot6073 to desabafos [link] [comments]


2020.09.22 04:50 saturno_hipocrita Twitch

Mano,Como a twitch pode ser tão boa e ruin ao msm tempo?Uma rede enorme para conhecer pessoas basicamente,Mas nem é da twitch o desabafo msm,Conheci esse cara faz uns 5 a 6 meses na twitch conversamos e tals ele se sentia mal para um caralho (sou um merda?Sou,Mais ainda tenho empatia) conversamos naquela noite foi uma conversa tranquila sobre os problemas deles e tals,Ai no outro dia eu Taquei um "Ahoy!se sente bem hj?"(Nem me lembro se foi assim) manos eu me senti um merda tão merda, Que eu me sinto mal só de lembrar,Como alguém pode ser tão insensível?
Depois de meses,Ele voltou a falar cmg umas semanas atrás, dizendo que não gostava de conversar pelo discord, conversa vai conversa vem ele falou que ia rolar um exposed deles,E que tava se sentindo mal, Taquei mais um pouco de esperança pensando que seria diferente...tragam uma coroa para o palhaço do circo
3 a 4 dias foi o necessário para ele se sentir bem ou algo assim,Porra...Nunca me sentir esse sentimento de raiva e tristeza junto, Me sinto traído por mim mesmo cara um dos problemas que ele tinha é pq ele dizia que era tóxico com todo mundo a volta dele,Como alguém é hipócrita dessa maneira caralho do que adianta se tornar alguém menos tóxico e se tornar alguém de merda desse jeito?
Cara se vc tiver lendo isso,Saiba não tô bravo com vc, Tô bravo comigo msm por ter tacado esperança se dor nem piedade em vc
submitted by saturno_hipocrita to desabafos [link] [comments]


2020.09.22 04:44 umqualquernome Vocês já sentiram muita falta de alguém apenas sexualmente?

É basicamente esse meu questionamento. Muito se fala em 'demissexual', que precisa de envolvimento emocional pra ser atraído sexualmente por alguém e tal... Mas quero saber se alguém experimentou o conceito totalmente oposto. Sentir muita falta de alguém somente na cama e não no sentido amoroso/sentimental.
Indago isso por conta da experiência que vivi com uma garota. Há uns 4 anos atrás. Até hoje lembro bem vividamente do nosso sexo, mas não sinto falta assim da 'companhia' dela. É que tudo se encaixava com ela (literalmente hehe). Eu era louco por cada pedaço do corpo dela, seus gemidos me enchiam de tesão. Nosso sexo foi pra mim como nenhum outro, ela chega amolecia quando eu a agarrava (se tivesse em pé faltava cair), nossos beijos eram aqueles descontrolados de ficarmos com a respiração ofegante, cada vez que a gente transava descobria algo novo (uma vez ela gozou ainda vestida, só com a fricção dos nossos corpos através da roupa). Enfim, era muito foda, parece coisa de sonho mesmo.
Eu sempre gosto de pensar em uma transa boa que tive quando vou dormir (aproveitando, mais alguém faz o mesmo?) e quase sempre lembro das que tive com ela. É tipo a primeira coisa que me surge na mente quando quero lembrar de bons momentos do meu passado. Depois de 4 anos... Mas em questão de relacionamento/amoroso, não sinto falta dela, é exclusivamente sexo (nem foi um relacionamento longo, durou por volta de um mês, ela que terminou). Enfim, não sei se soa muito estranho mas achei essa comunidade propícia pra compartilhar essa minha excentricidade.
submitted by umqualquernome to sexualidade [link] [comments]


2020.09.22 04:21 Maedhros_K O brilho acaba rápido

O querido ano de 2020, crises de ansiedade rasgando a pele, depressão aumentando a cada dia. Depois de 8 meses sem literalmente sair de casa, encontro uma garota muito especial no Tinder, em cinco dias de conversa seguidas, parecia que nos conheciamos há anos. Começamos a conversar ate de madrugada, essa sensação eu não sentia desde o EM. No sábado ela me convida pra ir ao ap dela porque está muito triste com o trabalho e queria que eu dormisse com ela naquela noite. Até os momentos antes de chegar ao apartamento ela não parava de me mandar audios, fotos e etc.. Ela tava muito alegre por conhecer alguém numa cidade nova, que não conhecia muita gente, além de termos a mesma idade e com gostos parecidos. Eu então, nem estava ligando pras aulas da faculdade e estágio, só estava/estou pensando nela. Depois de um relacionamento com uma garota extremamente problemática (com problemas psicológicos tão graves quanto os meus, porém sem controle e com a adição de bipolaridade), o que eu mais queria durante uma quarentena infinita era encontrar uma garota legal, gentil, doce.. E encontrei! Bom, porém quando bato na porta do ap, apartir daquele momento, tudo muda, ela já não mantém a mesma felicidade, mantivemos conversas aleatorias e constrangidas, comemos uma pizza que quando tinhamos combinado pelo whats, comeriamos olhando HIMYM, mas foi um olhando pro outro e eu tentando puxar assuntos idiotas, ela pede pra mim ir pra casa ao invés de posar, só me sinto envergonhado e triste (quebrado), ainda pra deixar tudo pior, peço um beijo antes de ir embora (really, um beijo depois de uma noite bizarra daquelas), ela recusa e volto pra casa. Depois de conversar pelo whatsapp, me fala que não queria me usar como analgésico pelo término dela com o ex 1 mês atrás, mas deveriamos continuar conversando, pois sou o cara mais sensível e doce que ela conheceu. Agora se somam a melancolia maldita e dolorida da depressão, a ansiedade me criando alergias pelo corpo todo e a sensação de que tudo está sendo disperdiçado na minha vida, e claro, a rejeição bizarra e aterradora da única garota que me dispertou tantos sentimentos na vida, criando aquele brilho no meio dessa cortina de fumaça.
Minha lição tirada disso tudo, pra vc que leu este resumo enjoado e mal escrito, foi que o brilho das coisas boas na vida dura muito pouco quando você está na merda. Tenho depressão e crises de ansiedade desde meus 15 anos, todos os dias penso em me matar, mas a preguiça e má vontade que isso tudo gera, simplesmente me faz ficar "vivo" e manter um dia após o outro. Um conselho para vc que é depressivo: Se está em uma época muito ruim da sua vida, não vá em busca de um brilho como esse, porque a queda é bizarramente mais dolorida, aproveite pra fazer as coisas que gosta, tente se ocupar com coisas interessantes e que mantenham sua cabeça ocupada (jogos, música, leitura, estudo, esportes, etc) e obviamente procure também a ajuda médica, em muitos casos ela é a única que vai te salvar. Esse é um desabafo sincero daquele depressivo que não curte o enfeite que muita gente faz ao falar e dar sujestão de "ajuda", ainda mais nesse Setembro amarelo. Se tu leu ate aqui, boa sorte com os teus demônios amigo.
submitted by Maedhros_K to desabafos [link] [comments]


2020.09.22 02:13 bruNope Azar Cósmico

Como você se sente sabendo que por ter nascido aqui sua vida é estatisticamente pior do que a de continentes inteiros? Você em particular pode estar muito bem na vida, mas os números não mentem. Compare o Brasil em qualquer métrica com um país digno de se viver e olhe o abismo. Renda, qualidade de vida, longevidade.
O que você gosta de fazer? Qual sua carreira? Veja quem foram os grandes nomes da sua área. Nenhum Br né? E provavelmente não haverá no futuro, ou seja, você vai ser só mais um.
Vão me chamar de vira lata, mas que jogue a primeira pedra quem realmente escolhesse aqui caso antes de nascer alguém nos mostrasse um mapa do mundo. Eu garanto que quem me chamar de vira lata nunca cruzou uma fronteira pra ver como a vida é pra quem tirou a sorte na loteria geográfica.
Você tem que ralar pra conseguir estuar num lugar de renome mundial. E mesmo se conseguir ser aceito vai ter que pagar mais caro. Sim, mesmo ganhando em real, o mundo não liga. E nunca vai ligar. Pra centenas de milhões, simplesmente por nascer, estudar no mesmo lugar é algo quase natural.
Se você quer sobreviver, ou até mesmo viver, aqui até que rola, ainda mais se nunca conheceu algo melhor. Agora se você tem o mínimo de ambição de fazer história, esqueça. Você não é anglofônico, você não é nem mesmo ocidental, por mais que o mapa mundi diga o contrário.
Se dúvida de mim, olhe os números. Escolha qualquer área. Conte os grandes nomes, veja onde nasceram. Onde cresceram. E veja que estou certo.
Cara, quando penso que nasci aqui só consigo chegar à conclusão que alguém cometeu um grande erro. Mas na verdade só estou negado o fato que nasci para ser figurante, e não protagonista. E se você entende essa língua que falo, você partilha do mesmo papel.
A moda hoje é fingir que todo mundo pode ser tudo, até mesmo belo. Isso é um sintoma delirante de gente que não tem forçar pra pelo menos sucumbir com alguma dignidade sob os fatos implacáveis da existência:
A vida é um jogo de cartas marcadas. A não ser que você seja um milagre, você é estatística.
submitted by bruNope to desabafos [link] [comments]


2020.09.22 01:14 DeepBluePacificWaves Tenho baixa autoestima, eu acho

Esses dias atrás eu me senti muito mal, não sei bem o porquê. Tudo o que eu sei é que eu me senti extremamente solitário e triste, por isso abri um desses apps de namoro que eu tenho instalado. Enquanto eu passava pelos perfis, eu fui me sentindo mal. Cada pessoa tão mais bonita, tão mais interessante que eu. Esses pensamentos foram me corroendo até que chegou num ponto que eu fiquei pior do que estava antes.
Fiquei pensando muito nisso desde que aconteceu, e eu cheguei a conclusão de que eu tenho alguns problemas de autoestima. Tipo, essa crise só piorou pq eu comecei a me comparar com os outros, sem ao menos conhecê-los ou entendê-los. Em outras palavras, eu fiz um pré julgamento baseado em informações que não são necessariamente confiáveis e a partir daí eu fiz uma comparação desnecessária.
É como se eu sentisse que eu não sou bom o bastante para namorar alguém. Eu sempre tendo a ficar ansioso em relação ao que os outros possam pensar de mim, dos meus comportamentos e características, etc.
Talvez isso tenha a ver com o bullying constante que eu passei no passado. Talvez eu tenha aprendido a não confiar nos outros, pq eles só vão me machucar e pq eu não mereço a atenção deles. Eu sou muito estranho, eu sei disso. As pessoas às vezes olham para mim como se eu fosse doente mental ou se tivesse um intelecto inferior, mas eu acho que elas só não me entendem muito bem.
Sei lá, talvez eu só esteja cansado, só que eu não consigo racionar direito. Mesmo assim eu só queria desabafar sobre meus sentimentos recentes com alguém. Se vc leu até aqui, meus parabéns, mas não tente entender muito. Vou deixar pra fazer isso um outro dia, quando eu estiver com a cabeça mais calma, pra poder pensar.
submitted by DeepBluePacificWaves to desabafos [link] [comments]


Alguém Como Eu  Trailer Oficial - YouTube Paolo - Quero Uma Pessoa Como Eu [Studioclipe] - YouTube QUERO UMA PESSOA COMO EU - Paolo Stênio Marcius - Alguém como eu - YouTube FERRUGEM - MIL FLORES Alguém Como Eu - Ken Dantas Por Alguem Como Eu - YouTube #22.2  Tigrão – O Filme: Alguém Como Eu. Como orar por alguém especial? - Eu Escolhi Esperar ... ALGUÉM COMO EU trailer oficial da comédia romântica

Alguém Como Eu - Filme 2017 - AdoroCinema

  1. Alguém Como Eu Trailer Oficial - YouTube
  2. Paolo - Quero Uma Pessoa Como Eu [Studioclipe] - YouTube
  3. QUERO UMA PESSOA COMO EU - Paolo
  4. Stênio Marcius - Alguém como eu - YouTube
  5. FERRUGEM - MIL FLORES
  6. Alguém Como Eu - Ken Dantas
  7. Por Alguem Como Eu - YouTube
  8. #22.2 Tigrão – O Filme: Alguém Como Eu.
  9. Como orar por alguém especial? - Eu Escolhi Esperar ...
  10. ALGUÉM COMO EU trailer oficial da comédia romântica

Gostou dessa autoral ? Haha se inscreve no canal pra não perder nenhum vídeo e ative o sininho. Alguém Como Eu Trailer Oficial: um filme de comédia romântica dirigido por Leonel Vieira com Paolla Oliveira, Ricardo Pereira, Júlia Rabello. Inscreva-se em nosso canal e clique no sininho ... Alguém Como Eu Trailer Oficial Confira o novo trailer de Alguém Como Eu Somos o melhor destino para quem busca trailers assim que eles são lançados. Se v... Quero uma pessoa como eu Que me aceite como eu sou Que precise de carinho e de amor Quero uma pessoa como eu Que aprenda a me escutar Que entenda o que diz o meu olhar Que não fique por ficar ... Studioclipe oficial da música Quero uma pessoa como eu © 2012 PK - Todos direitos reservados. Saiba mais http://www.paolo.com.br Curta: http://www.facebook.c... Como devo orar por alguém que estou conhecendo agora? Quanto tempo devo orar por alguém? Essas e outras respostas no Eu Escolhi Esperar Responde de hoje. Com... Musica: Por Alguem Como Eu Clip feito por Thiagoinv Canção: Alguém Como Eu. Cantores: Tigrão (Isaac Bardavid). Sinopse: No coração do Bosque dos Cem Acres, o Ursinho Puff e seus amigos se preparam para um longo e rigoroso inverno. [ferrugem] Como é que eu posso amar alguém, em Como é que eu posso amar alguém, em [príncipe] Já estava tudo resolvido em mim Eu tinha outra pessoa e planos de casar Achei que tudo se ... Composição de Stênio Marcius Botelho Nogueira. Voz e violão: Stênio Marcius 2º violão: Silvestre Kuhlmam Cd Canções à meia noite Produção: João Alexandre Sil...